Logo Logo2

Colateral (Collateral, 2004) - Crítica

2 semanas, 3 dias atrás - Visto 22 vezes

Michael Mann é um diretor/roteirista muito conhecido pelos seus trabalhos envolvendo o gênero criminal, tais como os aclamados Heat ou Fogo contra Fogo de 1996 e O Informante de 1999. Aqui, em Colateral, Mann cria uma história tensa e apreensiva com um conceito simples e objetivo.

Na Historia, Max (Jamie Foxx) é jm motorista de Táxi que, em um dos seus turnos noturnos, conhece Vincent (Tom Cruise), um sujeito elegante e bem humorado. Tudo ocorre bem até o momento que Max descobre que o seu cliente é um assassino profissional que veio para Los Angeles para matar 5 pessoas e obriga Max a dirigir para ele por uma noite inteira.

É impressionante como nesse filme, Mann consegue transformar a Los Angeles em um co-protagonista: As ambientações noturnas de L.A., iluminadas com muito estilo e com uma constante predominância de tons sutilmente alaranjados dão vida a cidade; a Trilha Sonora com predominância de Rock/Jazz é muito adequada.

A Montagem também merece destaque, especialmente em um segmento durante um bar, onde ocorre um tiroteio e, é possível observar vários ângulos da mesma sequência. O Roteiro é muito bom na condução de sua narrativa e em seus diálogos que adicionam uma carga de tensão a trama.

A Trama funciona em partes: ela começa muito instigante e enigmática com relação as reais motivações do Vincent, porém o texto não resiste e ignora a lógica narrativa ao incluir um “twist” no terceiro ato, que não funciona corretamente, é mal-explicado e fica a clara sensação de que a intenção era conectar tudo. Por sorte, o filme encerra com uma excelente perseguição e um final, digamos, “tocante”.

As Cenas de ação são muito bem conduzidas, com planos e movimentos agitados que conferem uma agitação delirante. O Tom Cruise é a estrela do filme, ele impõe uma presença que, ao mesmo tempo, é elegante e ameaçadora; já o Jamie Foxx representa o espectador no meio daquela insanidade da narrativa e ele cumpre bem a função. Os demais do elenco estão bem, porém não tão bem valorizados pelo roteiro.

Colateral é um thriller instigante e envolvente com uma ambientação maravilhosa e um ótimo elenco, que derrapa um pouco em sua conclusão, mas nem por isso perde sua qualidade. Um dos melhores filmes de 2004, que foi um ano muito gratificante para cinéfilos.

Nota: ★★★★

Filmes Crítica

Compartilhar nas redes sociais

Sobre o Autor

João

Colaborador, analista de filmes.